imprensa

exemplo

05/12/2014

Orçamento Participativo de Brusque será documentado por pesquisadora da UFSC

A experiência brusquense com o Orçamento Participativo será documentada e publicada em um livro pela professora portuguesa Marta Nunes da Costa. O objetivo da pesquisadora é traçar um perfil daqueles que se envolvem na iniciativa e também identificar a dinâmica do processo, que foi adaptado e ampliado pela Prefeitura de Brusque para garantir que cada vez mais pessoas possam exercer seu papel democrático. Esta será a primeira grande publicação realizada sobre o programa municipal.

Marta atua como coordenadora do projeto de extensão “Teorias e Práticas Democráticas” do curso de Filosofia da Universidade Federal de Santa Catarina e conheceu o Orçamento Participativo em setembro deste ano. “Fiquei muito interessada na dinâmica do processo. Estou desenvolvendo um projeto que consiste na elaboração de uma pesquisa original nessa área e sugeri abordar o OP de Brusque pela importância que este programa tem na cidade”, explica.

A intenção da pesquisadora é saber das pessoas, dos delegados e dos participantes como eles se veem no papel de pensar o que é melhor para suas comunidade. “A ideia é identificar quais as motivações que levam a pessoa a participar do OP e quais incentivos podem ser oferecidos a quem ainda não se engajou nesse processo”, acrescenta. O trabalho visa ainda redefinir os conceitos de representação popular no intuito de fortalecer os processos democráticos.

A última etapa do Orçamento Participativo 2014, realizada em 29 de novembro, foi acompanhada de perto pela pesquisadora. Na oportunidade, Marta ressaltou o protagonismo da Prefeitura de Brusque no programa e lembrou que a vontade política é um fator muito importante nesse processo. “Sem ela, o envolvimento da comunidade torna-se muito difícil. Espero que este trabalho sirva de inspiração para outras cidades, que eles possam reconhecer o sucesso da iniciativa em Brusque e digam 'queremos ser como eles'”.

OP 2014

Com uma nova metodologia que possibilitou à comunidade escolher as obras prioritárias de seus bairros por votação pela internet e votos em urnas, o Orçamento Participativo de 2014 garantiu uma participação popular ainda maior em sua nova edição. Durante todo processo foram contabilizados 1.170 participações pela internet, 6.795 votos nas urnas e 930 participações nas assembleias regionais. Ao todo, 8.895 pessoas votaram e ajudaram a definir a aplicação dos recursos municipais.

Eduardo Pereira/SECOM