imprensa

Pós greve

04/06/2018

Gabinete de Crise da Prefeitura de Brusque faz balanço da greve dos caminhoneiros

O gabinete de crise liderado pela Prefeitura de Brusque se reuniu pela última vez, durante a tarde desta segunda-feira (4), com o objetivo de encerrar a mobilização feita em virtude da greve dos caminhoneiros. Junto de representantes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Civil e da Guarda de Trânsito de Brusque (GTB), todo o secretariado municipal avaliou os resultados da paralisação nacional, apontando quais foram as maiores dificuldades no período.

O comandante do 18º Batalhão de Polícia Militar (18º BPM), tenente coronel PM Otávio Manoel Ferreira Filho, destacou a preparação do município de Brusque, um dos primeiros de Santa Catarina a organizar um comitê de gestão de crise e, também, a decretar situação de emergência. Segundo o oficial, as ocorrências criminais no período caíram drasticamente, fazendo com que a corporação pudesse se concentrar nas escoltar de combustíveis e insumos.

O capitão BM Hugo Manfrim Dalossi, comandante da 3ª Companhia de Bombeiros Militar de Brusque, adotou o mesmo discurso. Manfrim discorreu, ainda, que ficou tranquilo com relação a uma possível falta de combustível para as viaturas, já que podia contar com o apoio das demais entidades e secretarias reunidas no gabinete de crise. O comandante disse, também, que a maior dificuldade encontrada foi gerir a escala de profissionais, já que alguns moram fora de Brusque.

Representando a Guarda de Trânsito de Brusque (GTB), o supervisor Romi Mendes considerou o período bastante tranquilo, com uma queda acentuada no número de acidentes de trânsito com danos materiais. Mendes citou ainda alguns atritos pontuais entre motoristas e ciclistas, por conta das filas registradas sobre as ciclovias próximas de postos de combustíveis.

Carlos Alexandre Reis, diretor da Defesa Civil de Brusque, apresentou um panorama de tranquilidade nos mercados brusquenses, ressaltando que os estabelecimentos estão quase que completamente abastecidos. Os laticínios e produtos feitos à base de trigo ainda podem faltar em alguns locais. O fornecimento de gás de cozinha, segundo Reis, já está restabelecido no município. Conforme o diretor, a situação dos postos de combustíveis já está 95% resolvida. Até quinta, assegurou, todos os postos estarão com todos diesel, gasolina e etanol disponíveis.

Quem também compareceu à última reunião do comitê foi o delegado de Polícia Civil Alex Bonfim Reis, responsável pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Brusque. Para o investigador, o momento de crise colocou em evidência a união da sociedade e das entidades do poder público e privado. Com um ambiente bem mais ameno que em outras cidades da região, o trabalho da corporação durante a paralisação foi pautado na prevenção de crimes, continuou Alex. O policial ainda frisou que foram poucas as ocorrências de vulto no período.

Humberto Fornari também fez um balanço da greve dos caminhoneiros. Segundo o secretário municipal de Saúde, apenas as visitas domiciliares tiveram de ser canceladas, com o objetivo de economia de combustível. O médico destacou a continuidade da prestação da maioria dos serviços, mesmo diante de um ambiente adverso de crise.

Representando a Câmara Municipal de Vereadores, esteve o presidente do Legislativo, Celso Carlos Emydio da Silva. Junto dos parlamentares Jean Pirola e Cleiton Bittelbrunn, Celso comentou que não houveram alterações nas atividades cotidianas da Câmara. Destacou, também, a organização e a resolubilidade do grupo gestor de crise formado pela Prefeitura.

O secretário Municipal de Obras, Ricardo José de Souza, citou que a paralisação dos caminhoneiros resultou na interrupção de atividades que envolviam maquinários movidos à diesel. Porém, ressaltou que as ações já foram retomadas no município.

Se na Secretaria de Obras o panorama é de tranquilidade, o mesmo se repete no Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Brusque. Roberto Bolognini, diretor-presidente da autarquia, informou que todos os insumos foram suficientes para o tratamento de água em Brusque, sem que fosse preciso racioná-los.

Representando a Secretaria Municipal de Educação, o secretário de Governo e Gestão Estratégica, William Molina, repassou a informação de que algumas escolas ficaram desguarnecidas durante o período, mas que todos os esforços da administração municipal se voltaram a não cancelar nenhum dia de aula no período de crise.

Deivis Silva, secretário Municipal de Assistência Social e Habitação, também esteve presente. Em seu balanço, Silva citou que foram verificadas apenas dificuldades pontuais com funcionários da pasta. Em alguns casos, teve de ser realizado um remanejamento de colaboradores para suprir a demanda nos aparelhos da secretaria, como o Cras, o Creas, o Conselho Tutelar e o albergue da Arena Brusque.

Molina confirmou que a intenção da Prefeitura de Brusque é deixar o gabinete de crise mobilizado para futuras situações. “Se mantém unido, para que rapidamente possamos agir, quando tivermos que enfrentar situações como essa”, finaliza.