imprensa

Programação de aniversário

02/08/2018

1º Fórum da Transparência e Gestão Compartilhada lota auditório da Paróquia São Luís Gonzaga

O auditório da Paróquia São Luís Gonzaga lotou na noite desta quarta-feira (1º), durante o 1º Fórum de Transparência e Gestão Compartilhada, evento que faz parte da programação dos 158 anos da cidade. Promovido pela Prefeitura de Brusque, por meio da Controladoria Geral do Município, o seminário contou com palestras de representantes de importantes entidades a nível municipal, estadual e federal.

“Foi um sucesso”, comenta o diretor geral da Controladoria do Município, Daniel Felício. “Foi importante para a Prefeitura mostrar, especialmente, o seu portal de serviços. Assim, a população pode ser um ator neste processo de transparência, almejando a gestão compartilhada”.

Responsável por ministrar uma das mini palestras, o diretor-executivo do Observatório Social de Brusque (OSBr), Evandro Gevaerd, achou louvável a organização do fórum e, também, o fato de cerca de 300 pessoas terem prestigiado a noite de apresentações. Segundo ele, este pode ser um marco para que a população comece a tomar mais consciência acerca do seu papel na transparência do poder público em todas as suas esferas.

“É um tema que parece ser um calcanhar de Aquiles para as administrações, mas, na verdade, é uma temática importante, capaz de dar segurança para os governos atuarem em suas gestões. Foi um evento fantástico”, qualifica Gevaerd.

Quem possui a mesma linha de pensamento é José Rafael Corrêa, secretário executivo da Associação dos Município do Médio Vale do Itajaí (Ammvi). Após apresentar uma linha do tempo sobre transparência no mundo, o palestrante ressaltou que o case de sucesso do 1º Fórum da Transparência e Gestão Compartilhada deverá ser levada por ele aos outros municípios signatários da entidade. “Temos que parabenizar o município por este auditório cheio. Nos alegra muito ver o pessoal participando”.

Se o assunto é transparência, é claro que o fórum não podia deixar de contar com um representante do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Em sua fala, uma das mais aguardadas da noite, o promotor de justiça Samuel Dal-Farra Naspolini, que também coordena o Centro de Apoio Operacional da Moralidade Administrativa (CMA), comentou sobre diversas ferramentas disponíveis nos portais do MPSC para auxiliar os gestores em seus atos.

Inclusive, citou a existência de um portal eletrônico com um banco de condutas para diversas situações corriqueiras em um governo, desde o pagamento de diárias até a disponibilização de coffee breaks em eventos. “O conteúdo exposto nesta oportunidade enfatizou, não só o papel das instituições, mas da possibilidade da ação de cada cidadão, entidade, associação de classe e de bairro. A construção de uma gestão pública proba é coletiva”, enfatizou.

Outro importante momento da conferência foi a palestra ministrada pelo auditor federal de Finanças e Controle da Controladoria Geral da União (CGU), Rodrigo de Bona. Após discursar sobre Controle Social e Dados Abertos, o servidor público federal opinou positivamente sobre o debate acerca de transparência. “É um assunto que está na moda. Todos os políticos falam sobre transparência e enxergamos a população acordando para essa temática. Temos as melhores leis, mas é preciso agora que exista uma cultura de transparência”, finaliza.